17.8 C
Irati
segunda-feira, maio 23, 2022
spot_img

Entre Facas e Segredos – Crítica

Depois de fazer 85 anos, Harlan Thrombey (Christopher Plummer), um famoso escritor de histórias policiais, é encontrado morto. Contratado para investigar o caso, o detetive Benoit Blanc (Daniel Craig) descobre que, entre os funcionários misteriosos e a família conflituosa de Harlan, todos podem ser considerados suspeitos do crime.

O longa é escrito e dirigido por Rian Johnson que dirigiu Looper: Assassinos do Futuro e o polêmico Star Wars: Os Últimos Jedi. Em Entre Facas e Segredos, Johnson tem total liberdade em contar uma história cheia de reviravoltas com personagens ótimos e uma trama que te prende do início ao fim.

Inspirado em clássicos como Morte no Nilo de 1934, Assassinato no Expresso Oriente de 1937 e no mais novo remake de 2017, Entre Facas e Segredos segue a mesma fórmula, tendo uma pessoa morta misteriosamente e vários suspeitos no mesmo cenário. Mas não pense que aqui você verá mais do mesmo, Johnson sabe contar a história de uma maneira em que determinado momento você não saiba para onde ele vá subvertendo características do gênero, não se prendendo somente a um filme de mistério. Flertando com a cafonice, o longa passeia muito bem entre momentos dramáticos a momentos cômicos, com leves críticas sociais mostrando a mesma situação vista de classes diferentes, além disso, o ótimo roteiro constrói diálogos importantíssimos para a trama amarrando todas as pontas deixadas no decorrer da história pelos suspeitos.

Falando em suspeitos, o maior destaque do filme é seu elenco de peso, temos: Daniel Craig, Christopher Plummer, Ana de Armas, Jamie Lee Curtis, Tonni Colette, Michael Shannon, Don Johson, Chris Evans entre outros. Todos são importantes para o desenrolar da trama, possuindo motivações e particularidades específicas. Entretanto, nem todos possuem o destaque que merecem, é quase um pecado ver certos atores com tão pouco tempo em tela.

Algumas atuações merecem destaque como a de Craig dando vida ao detetive Benoit Blanc, deixando de lado sua imagem de James Bond. Ana de Armas interpretando a enfermeira Marta Cabrera que possui um coração bom, porém não é boba e Chris Evans sendo Ransom Drysdale, a ovelha negra da família.

Mas nem tudo são flores, o grande defeito do filme é sua vontade de estar a um passo à frente do seu espectador criando reviravoltas em cima de reviravoltas fazendo com que seja impossível o espectador desvendar o mistério antes que o filme queira.

Entre Facas e Segredos é um ótimo filme de mistério que flerta com o cafona deixando o filme charmoso, além de possuir um roteiro ótimo com diálogos afiados e construtivos para a trama trazendo momentos de suspense, drama e comédia de tirar o chapéu.

 

Relacionados

- Propaganda -spot_img

Mais Recentes