10.5 C
Irati
domingo, 5 abril 2020

Terceira idade e atividade física

Categorias

Olá, atletas! O número de idosos no planeta nunca foi tão grande em toda a história. O índice de envelhecimento aponta para mudanças na estrutura etária da população brasileira. O alargamento do topo da pirâmide etária pode ser observado pelo crescimento da participação relativa da população com mais de 60 anos. Em 2000 a população idosa com mais de 60 anos era de 14,5 milhões de pessoas, um aumento de 35,5% antes os 10,7 milhões em 1991. Hoje, este número ultrapassa os 29 milhões e a expectativa é que, até 2060, este número suba para 73 milhões com 60 anos ou mais, o que representa um aumento de 160% (IBGE, 2019).

Isso mostra que a população idosa está crescendo, e ainda irá crescer mais, podendo chegar a ser quase que maioria, tanto no Brasil como no mundo. Diante disso, é importante que a população idosa receba um olhar mais atencioso, onde estudiosos e pesquisadores forneçam maneiras que os auxiliem a manter uma vida saudável e com qualidade de vida.

É importante que o idoso se sinta independentemente bem, para que ele próprio possa buscar consciente maneiras para ter uma condição de vida mais saudável. Isso irá auxilia-lo a sempre procurar manter ou a criar hábitos que ajudem no prolongamento da vida, possuindo uma grande possiblidade de se manter longe de doenças crônicas que podem afetar a qualidade de vida.

A atividade física é um dos fatores que contribuí para um envelhecimento saudável. Mas, engana-se quem acredita que idosos devem apenas realizar atividades físicas leves como as caminhadas. A força muscular é uma das capacidades físicas que mais se perde ao decorrer dos anos, perdendo apenas para a potência que diminui ainda mais com o envelhecimento.

O treinamento resistido em todo seu planejamento deve ser estruturado buscando minimizar estas perdas e consequentemente melhorar as atividades da vida diária desta população. Para isto, o treinamento de adultos e idosos deve incluir exercícios de força e potência visando o aumento da saúde e consequentemente a independência funcional.

Colunista